A Rede e-Tec Brasil é uma iniciativa do Ministério da Educação (MEC) que oferta cursos de educação profissional e tecnológica a distância com encontros presenciais, atuando na formação de trabalhadores egressos do ensino médio e da educação de jovens e adultos, através de um sistema virtual complementado com as atividades presenciais desenvolvidas nos polos de apoio presencial com infraestrutura necessária para os alunos.

Atualmente, através da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a Rede está presente em 32 municípios: Acari, Angicos, Apodi, Areia Branca, Assu, Caicó, Caraúbas, Ceará-Mirim, Currais Novos, Goianinha, Ipanguaçu, Itajá, Jaçanã, João Câmara, Lajes, Macaíba, Macau, Martins, Monte Alegre, Mossoró, Natal, Nova Cruz, Parelhas, Parnamirim, Pau dos Ferros, Santa Cruz, São Gonçalo do Amarante, São João do Sabugi, São José de Mipibu, São Paulo do Potengi, Touros e Vera Cruz.

Mais de 4 mil jovens e adultos foram beneficiados através dos nove cursos regulares do e-Tec (Agroindústria, Comércio Exterior, Cooperativismo, Agropecuária, Apicultura, Aquicultura e Manutenção e Suporte em Informática), dos três cursos do Profuncionário (Alimentação Escolar, Multimeios Didáticos e Secretaria Escolar) e dos dois cursos do Programa e-Tec Idiomas Sem Fronteiras (Inglês e Espanhol).

A partir do segundo semestre de 2017, a Rede foi ampliada com a oferta de cursos do MedioTec EaD, destinada a jovens de 15 a 19 alunos regularmente matriculados no Ensino Médio da rede públicas de educação e socialmente vulneráveis. A Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ), em parceria com a Escola de Saúde da UFRN (ESUFRN) e com o Instituto Metrópole Digital (IMD), oferece 16 curso técnicos: Administração, Agroindústria, Agronegócio, Contabilidade, Cooperativismo, Finanças, Logística, Manutenção e Suporte em Informática, Qualidade, Química e Redes de Computadores.

Coordenação

Ivan Max Freire de Lacerda
coordenador geral

Lígia Souza de Santana Pereira
coordenadora geral adjunta

Equipe

Alyson Moura (pedagogo)
Andréia Nunes (coordenadora de professor mediador)
Arthur Medeiros (apoio técnico em informática)
Carlos Júnior (apoio administrativo)
Deuzeni Lopes (pedagoga)
Elissângela Alves (apoio administrativo)
Emanoel Palhano (assessor jurídico)
Fátima Pessoa (apoio administrativo)
Fernanda Antunes (coordenadora de professor mediador)
Gilberto Oliveira (assessor de comunicação)
Gisllayne Brandão (pedagoga)
Juvanderson Nicácio (apoio técnico em informática)
Marcela Ribeiro (apoio administrativo)
Renan Farias Felipe (analista de desenvolvimento de sistemas)
Renata Martins (apoio técnico em informática)
Robson Pequeno (coordenador de professor mediador)
Rosana Pimentel (produtora de audiovisual)

Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) – Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias

A Escola Agrícola de Jundiaí foi criada em dezembro de 1949 como “Escola Prática de Agricultura”, localizada na antiga Fazenda Jundiaí, a 3 Km da sede do município de Macaíba e a 25 Km de Natal. Em seguida, foi transformada em “Escola Agrotécnica de Jundiaí”, pelo convênio firmado entre o estado do Rio Grande do Norte e o Ministério da Agricultura, em 09 de abril de 1954, ficando subordinada à Direção de Ensino Agrícola e Veterinário daquele Ministério.

Foi incorporada à Universidade Federal do Rio Grande do Norte em 16 de agosto de 1967, passando posteriormente à denominação de Colégio Agrícola de Jundiaí (CAJ). Posteriormente, em 16 de agosto de 2002, após alterações no Regimento Geral da UFRN, a Unidade recebeu a denominação de Escola Agrícola de Jundiaí (EAJ) e em 19 de dezembro de 2007 passou à condição de Unidade Acadêmica Especializada em Ciências Agrárias.

É definida nos termos do Art. 9º do Estatuto da UFRN, como unidade das atividades de ensino, pesquisa e extensão em Ciências Agrárias, e visa a integração entre as suas várias sub-áreas de conhecimento mediante aperfeiçoamento do ensino prestado, com a estruturação de bases e grupos e pesquisas voltados especialmente ao desenvolvimento tecnológico das cadeias produtivas agroalimentares e agroindustriais. Objetiva-se que a Unidade Acadêmica torne-se a um Centro de Excelência em Ciências Agrárias, abrigando novos cursos de formação tecnológica em níveis médio, de graduação e de pós-graduação nessa área de conhecimento.

Direção: Júlio César de Andrade Neto (diretor) e Gerbson Azevedo de Mendonça (vice-diretor)

Saiba mais em www.eaj.ufrn.br